<

No dia da Independência na Bahia o Estado entra no universo das cervejas artesanais em escala nacional

CUMPÁDI WASHINGTON VIRA BREJA ARTESANAL !!!

SABE DE NADA INOCENTE !!!

Com este bordão, cheio da melhor malícia Bahia style , Cumpádi Washington provocou furor no mercado publicitário com o “reclame” (esta é velha, hein ?) da OLX.

Botou Supla e Tiririca no bolso no quesito ibope garantindo sucesso da campanha no ano passado. A propaganda ajudou a dar novo gás no pagode do É o Tchan e agora vai  colocar o nome da Bahia no meteórico mercado nacional das cervejas especiais. O nicho cresceu 25% no Brasil no ano passado, de acordo com Douglas Costa, “todo poderoso” do marketing da Brasil/Kirin (Baden-Baden, Eisenbahn). Uma porrada no aguado mercado mainstream que apresenta, se tanto, crescimento na casa decimal.

 

IMG_2439[1]

 

O estilo Pilsen foi o escolhido. Tem 4,1% de teor alcoólico (ao contrário do rótulo aí encima. Explicação : ele ainda estava sendo elaborado quando chegou às mãos deste blogueiro).O IBU, abreviação de International Bitter Units, que trata-se de uma medida para averiguar quão amarga é uma cerveja, é 9 ( o que indica um suave amargor,alguns estilos podem chegar a 120 IBUs ). Esta Pilsen tem a cor amarelo dourado e, no aroma, notas de malte se equilibram com o floral do lúpulo. No sabor, uma boa relação entre o malte e o amargor. Particularmente prefiro as Pilsens mais lupuladas (na pegada tcheca, em torno de 40 IBUs). Mas a escolha tem explicação  São características mais próximas do que o consumidor de cervejas não artesanais está acostumado. A idéia é evitar dar um susto aos não-iniciados no universo cervejeiro.

Nos três primeiros meses de operação, o produto estará disponível em 11 estados, além da Bahia: Sergipe, Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso, Santa Cataria, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Paraná, Espírito Santo e Pará. Nunca uma marca de cerveja genuinamente baiana,  teve tamanho alcance. Em Salvador, será possível encontrar a Cerveja Inocente em diversos restaurantes, conveniências e casas especializadas.

A sacada da escolha do garoto-propaganda (que, reza o contrato, leva um caraminguá , a cada unidade vendida)   partiu de Guilherme Pauperio, do  Pub Ronchus Beer. Prá quem já é putavéia nas cervas artesanais em Salvador, com certeza sabe que a bagaça fica no Rio Vermelho e dá gosto de ver a quantidade de rótulos que por lá se espalham.

Fotografia de João Alvarez

Os empresários Ricardo Motta, Guilherme Pauperio e Leonardo Miranda. No meio , precisa dizer ? Inocente !!!

 

A aposta do empresário, e apaixonado pelas cervas artesanais,  é que a personalidade divertida do Cumpádi seduza o consumidor nacional. Acredito que acertou na mosca ! Washington é um fenômeno underground e , consequentemente, superidentificado com o “mundo” dos antenados bebedores das cervas artesanais.

Fotografia de João Alvarez

É só tirar como base o sucesso antigido pela Biritis, Brassaria Ampolis  (Serra Negra-SP). As excelentes vendas desta Vienna, uma delícia diga-se de passagem, se devem muito ao nosso simpático e eterno trapalhão : o Mussum

biritis2

 

A cervejaria que vai produzir a “Inocente” não tem nada de “Poliana”. Ela tem 3 anos de vida e vai engarrafar sua Pilsen (Golden Eye) com o rótulo do Cumpádi com capacidade de produção garantida. O pátio da fábrica em Votorantim-SP ( a mesma cidade da excelente Cervejaria Bamberg ) tem capacidade para 100 mil litros/mês . Este blogueiro já apurou que a “Inocente” vem, em breve, com receitas em estilos mais, digamos, ousados : vão pintar uma IPA, Double IPA E Stout. A produção de uma microcervejaria, no caso a paulista, já estabelecida no mercado é fundamental para conseguir uma distribuição nacional.

hoffen bier

 

Aos amigos cervejeiros, e são tantos, tá dado o recado em primeiríssima mão ! A boa notícia é que em breve teremos novidades sobre a produção em escala de microcervejaria aqui na Bahia. Tem um ortopedista por aqui que vai quebrar a perna de muita gente, rsrsrsr. É esperar …

ABRAÇO 

PANÇA CHEIA

SAUDAÇÕES

por Dalton Soares
Salvador, 1 de julho de 2015

Compartilhe [ssba]