<

O concurso Comida di Buteco começou em Salvador há 8 anos. Quem , como eu, adora um botequim sabe o quanto os bares cresceram em criatividade na elaboração do rango. É só pegar os miniguias dos primeiros anos e comparar com os de agora. Só de olhar a indicação dos pratos dá prá notar que uns 10,entre os 30 butecos, tem condições de levar o título de melhor tira-gosto de Salvador.

O Di Janela, na Saúde, e o Zanzibar, na Federação, são dois deles ( o Caranguejo do Pascoal é outro , já postado). Vamos ao primeiro. A Nara é quem está a frente da cozinha. O bar começou como uma casa em que amigos se reuniam para saborear a comida de uma amiga , a Nara. A brincadeira virou negócio e ela, ao lado do Miquinha, marido e ótimo fazedor de roskas, tocam a “bagaça”.

Nara respeitando o “defeso” do Pitú , de rio, e fazendo sucesso com Camarão da Malásia !!! Tá chique essa porra !!!

 

Este ano vieram com o MIX DIJANELA AFRESCALHADO(Mix de Frutos do Mar e carne de fumeiro, com Frutas grelhadas no azeite de ervas e calda de canela). Quem conhece a cozinha premiada internacionalmente de Beto Pimentel (Paraíso Tropical, no Cabula) vai entender onde ela se inspirou. É legal ver esta ousadia !

DSCN5306[1]

O prato mudou um pouco do que promete os ingredientes do miniguia porque acrescentou outros molhos. Com isso aumentou ainda mais a variedade de misturas agradáveis ao paladar (entre elas o limão siciliano).

Vá com calma e peça uma das roskas servidas com picolé Capelinha( a primeira vez que experimentei esta sacada legal foi com o Grande Jô da Bahia).Ainda vão inventar uma roska com gelo de Jim Bean (para o meu deleite)…

DSCN5308[1]

Vai a desculpa pela foto bizarra. Tava tão “bão” que lembrei depois.

O outro buteco é o Zanzibar, na Federação, mas que já foi point de artistas baianos e de fora no Pelourinho. Como é enfeitiçada também a cozinha de Ana Célia, a responsável pelo cardápio do bar. Ana Célia é uma das poucas artistas da cozinha soteropolitana que trazem referências da comida sagrada africana para o dia-a-dia de um buteco.

DSCN4033[1]

Ana Célia, clicada por este ousado fotógrafo, durante uma das edições da #Feira.

 

Este ano concorre com o CAMARÃO NO CAJU À ZANZIBAR ( CAMARÃO ALHO E ÓLEO ACOMPANHADO DE PURÊ DE CAJU). Praticamente é uma oferenda ao paladar ! Não quero misturar o sagrado e o profano, mas o prato lembra mesmo algo das religiões afrobaianas. Só quem experimentou um Amalá, em Terreiro de “responsa”, vai entender o que estou falando. Servido na folha de bananeira , acompanhado de batata doce, o camarão passa quase despercebido. A estrela é o purê de caju !!! Adocicado e ao mesmo tempo salgado, na língua ,lembra o camarão seco na textura e sabor.

DSCN5316[1]

Só tinha comido uma vez isso. Foi numa reportagem para o Rede Bahia Revista em Canudos, no Sertão baiano, preparado pelo Kerto, um cozinheiro de mão cheia na Terra de Antonio Conselheiro.

Não deixe de pedir um aperitivo de Gengibre. Com todo respeito, se sinta contemplado como um Orixá !!!

Salvador, 21 de abril de 15

O único bar na Barra que participa do concurso este ano é o Bagacinho Futebol Clube. Uma salada de Aratu com cajus e castanhas de caju. É o MANJAR DO ÂMBAR (Vinagrete de Aratu entre rodelas de caju, finalizado com um decor de camarão e um toque de crocante de castanhas).

 

DSCN5197[1]

 

A pegada é legal. O bar também costuma ter algumas cervejas especiais já que o Mano, dono do buteco, é apreciador.

DSCN5198[1]

Mano, na mesa vip, rsrsrs

E Canabrava tem bar no concurso. É o estreante Crisana que entrou este ano com “Codorna Assada ao Molho Porto Fino”, um molhinho de limão bem balanceado. A Ana,uma da donas do buteco tocado pela família, se mostrou um pouco temerosa por não ter ousado mais no prato visto que existem receitas muito mais elaboradas no concurso . Mas é assim ! Na primeira vez se patina, depois engrena. A codorna é bem fritinha, daquelas que “quebram” os ossos na boca e bem temperadinha.

DSCN5224[1]

DSCN5218[1]

A Ana, estreante que é toda sorriso…

É isso aí… Esta semana tem mais Comida di Buteco e Panela de Bairro … Olha aí o prato do último sábado : http://g1.globo.com/bahia/bahia-meio-dia/videos/t/edicoes/v/panela-de-bairro-aprenda-a-fazer-uma-carne-do-sol-de-bode/4118930/

ABRAÇO

PANÇA CHEIA

SAUDAÇÕES !!!

Salvador, 19 de abril de 15

Começou na última sexta, e vai até o dia 10 de maio, o concurso que elege o melhor tira-gosto de Salvador.

8 bares estréiam o concurso e a novidade este ano fica por conta da celebração das frutas nos pratos, ou seja, todos tira-gostos concorrentes devem levar algum tipo de fruta.

Isso deu uma força para criatividade dos donos de butecos que surpreendeu os “butequeiros de plantão”. O abacaxi foi o principal escolhidos pelos participantes que definiram a fruta em 11 dos 30 pratos. As maneiras como as frutas  entram nas combinações dá gosto de ver. O Piri (Boteco do Piri, segundo colocado como estreante no ano passado) usou o mamão verde numa rica combinação de um arrumadinho com carnes de sertão,do sol e de bode.

O Luiz (Bar do Luiz, veterano no Comida) usou a maçã caramelizada para compôr seu FILEZINHO TROPICAL (Tirinhas de Filé na chapa com fatias de mação caramelizadas)

DSCN5216[1]

O Bar do Luiz foi um dos bares visitado por este butequeiro confesso no fim de semana. O dito cujo bar é frequentado por assíduos clientes no Costa Azul (Rua Lourival Pimenta Bastos, 467). As especialidades do lugar são as carnes preparadas numa churrasqueira a gás por funcionários experientes (a maioria tem mais de dez anos de casa e sabe o que faz) e a simpatia do Luiz, que com sua farofinha de Mamãe (uma farofa d´água especialíssima em sua simplicidade) agrada paladares de todos que gostam de uma comida caseira que lembra mesmo nossa infancia.

DSCN5207[1]

Luiz : simpatia proporcional ao tamanho da barriga, rsrsrsr

 Outro bar visitado foi o Caranguejo do Pascoal (Itapuã, Rua Olhos d´água 128) campeão no ano passado. Este ano o Jorginho, idealizador dos pratos, botô pálá novamente na decoração. O ÔXE MAINHA ! é um Fricassê de Camarão com Côco de Itapuã (tem que ser de Itapuã senão não presta, faz questão de frisar antes de cair na gargalhada nosso anfitrião) aos cremes especiais de Dona Lourdes (a mãe do “ralador de panela”).

DSCN5273[1]

O prato está muito balanceado e leve com o leite de coco sobressaindo sobre camarões frescos e defumados em meio a um cremoso pure de aipim. Só o capricho na decoração já estimula o cliente a pedir o prato.

O lugar é daqueles que a gente se sente em casa. O Jorginho e a Lu, acompanhados do sorridente garçom Jairo, e a enigmática Dona Lourdes (mãe do casal) são responsáveis por dar ao bar o jeitão de “nossa cozinha de casa”.

DSCN5279[1]

Este ano ,  de quebra, foi criado um drink com leite de coco, pedaços de coco e biri-biri que vale a pena ser aniquilado aos litros, se tiveres peito de remador(como diria o Poetinha).

DSCN5268[1]

DSCN5282[1]

Detalhe do pé de biri-biri no quintal do bar

No próximo post, Barra e Canabrava que também tiveram bares visitados por este que vos tecla no fds.

ABRAÇO

PANÇA CHEIA

SAUDAÇÕES !!!

Salvador, 13 de abril de 15